22 de nov de 2007

Bebés São Bons Juízes

Bebés conseguem julgar os outros e preferem as pessoas boas
(Para ler originais clicar aqui e aqui)

Investigadores norte-americanos revelam hoje na revista Nature que o ser humano consegue julgar se o carácter dos outros é bom ou mau desde os seis meses de vida, altura em que começa a preferir quem age correctamente.

Através da análise do comportamento de bebés com idades entre os seis e os 10 meses perante fantoches, a equipa liderada por Kiley Hamlin, do departamento de psicologia da Universidade de Yale, em New Haven, Connecticut, descobriu que os bebés com meio ano de vida já são capazes de julgar se os outros foram bons ou maus, mesmo que o acontecimento não os afecte directamente.

«Na nossa investigação, mostramos que as crianças com entre seis e dez meses de idade diferenciam o resto dos seres humanos entre atractivos e repulsivos, segundo os comportamentos individuais que estes tenham mostrado com os outros», explicam os psicólogos.

Segundo o estudo, os bebés preferem ter a seu lado alguém que ajuda os outros do que alguém que engana ou se mantém impassível perante a necessidade alheia.

Preferem ainda uma pessoa que mostra um comportamento neutral a quem se dedica a fazer a vida impossível aos outros.

«Isto prova que os bebés que ainda não são capazes de falar julgam os outros com base no seu comportamento com terceiros», apontam os peritos.

«Esta capacidade pode ser a base do pensamento e das acções morais do ser humano e o seu aparecimento e desenvolvimento tão cedo apoia a teoria de que a valoração social faz parte da adaptação biológica do homem», acrescentam.

Até agora era desconhecido quando começava a capacidade do homem julgar os outros.

Diário Digital / Lusa

22-11-2007 15:38:27

Nenhum comentário:

Biblioteca do Blog

Como Estudar

Ver vídeo aqui

Lições de Ética

ver vídeo aqui e aqui

Autismo

Ver vídeo (foolish Wise ones) aqui e aqui

Léxico de Psi.

Emotional intelligence Type of intelligence defined as the abilities to perceive, appraise, and express emotions accurately and appropriately, to use emotions to facilitate thinking, to understand and analyze emotions, to use emotional knowledge effectively, and to regulate one's emotions to promote both emotional and intellectual growth.

Glossário de Psicologia Clicar aqui

Conceito de Mãe: Apesar de algumas competências exigidas a uma “mãe”, para criar e/ou educar uma criança, se relacionarem com a vertente biológica, a maior parte delas são desenvolvidas por aprendizagem social. Assim, quando falamos em “mãe”, não estamos propriamente a referir-nos à mulher que dá à luz, mas sim a um adulto significativo possuidor das competências necessárias para cuidar de um bebé e que, dispondo de tempo para dedicar à criança, se mostra capaz de lhe proporcionar experiências positivas, estimulantes, e de lhe dispensar a atenção e o afecto necessários, de forma a possibilitar o desenvolvimento das suas potencialidades.

J. S., n.º14, 12º ano CAD